Lista de empreendimentos, marcas e produtores indígenas

Atualizado: Fev 4

Comprar diretamente de pessoas indígenas é fortalecer a produção local e apoiar as comunidades, fomentando a autonomia, a autossuficência e a economia familiar. A partir de sites e redes sociais, os povos indígenas acessam os mercados que vão além das aldeias.

Logo: Victor Pascual
"Compre de indígenas, apoie localmente" (Logo: Victor Pascual)

Muitas lojas vendem artes e artesanatos de comunidades indígenas, mas isso não significa que o dinheiro vai diretamente para o(a) produtor(a) ou para a aldeia. Há muitos negócios antiéticos, que se apropriam da arte e cultura de um povo, muitas vezes plagiando e não beneficiando as comunidades. Por isso, se torna necessária a criação de uma rede que apoia a arte, a história e o legado dos povos indígenas, possibilitando assim a autonomia comunitária e a valorização da diversidade de culturas.

Confira a nossa lista de empreendimentos, marcas e produtores indígenas:


Alimentos e medicinas tradicionais
  • Centro Bahserikowi de Medicina Indígena (Instagram, Facebook, Físico): centro de medicina da Amazônia, de medicinas tradicionais e artesanatos (cestaria, colares, bolsas, etc).

  • Arte e Pimenta Baniwa (Site, Facebook): venda de pimenta do povo Baniwa, além de artesanatos como as cestarias.

  • Sanöma Cogumelo Yanomami (Site, Facebook): Cogumelos produzidos pelo povo Yanomami.

  • Nusoken - Guaraná Sateré-Mawé (Site, Facebook): Venda do Guaraná do povo Sateré-Mawé, e também de ervas medicinais.

  • Wariró - Casa de Produtos Indígenas do Rio Negro (Site, Facebook, Físico): artesanatos diversos dos povos indígenas no rio Negro, como bolsas, cestarias, panelas e pratos de barro, colares, etc.


Literatura
  • <